Fluminense é punido em R$ 50 mil por gritos homofóbicos de torcedores

Fluminense foi condenado a pagar R$ 50 mil por gritos homofóbicos na partida contra o Internacional, em 24 de novembro do ano passado, pela 35ª rodada do Brasileirão. A Quarta Comissão Disciplinar considerou o clube culpado pela maioria dos votos. No entanto, a decisão ainda cabe recurso.

Segundo o árbitro Felipe Fernandes de Lima na súmula, aos 40 e 47 minutos do segundo tempo, a torcida do Fluminense entoou, “de forma rápida”, o canto homofóbico por duas vezes, em que os torcedores diziam “arerê gaúcho dá o ** e fala tchê”. O fato foi informado ao quarto árbitro pelo delegado da partida e “por ter cessado de maneira rápida em um curto espaço de tempo, não houve necessidade de paralisar a partida“. O sistema de som e imagem do estádio alertou a torcida para que parassem os gritos. “Torcedor! Não entoe cantos homofóbicos! Você pode prejudicar seu clube!“, dizia a mensagem.

Por conta disso, Fluminense foi enquadrado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência. A denúncia foi protocolada em dezembro de 2021 pelo Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ, com sete Notícias de Infração no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Além do Flu, outros sete clubes foram citados: Internacional, Náutico, Ceará, Atlético-MG, Remo, Paysandu e Corinthians.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!