Há algumas semanas,a escritora da saga Harry Potter já vinha criticando a Lei de Crimes de Ódio e Ordem Pública

Mais uma vez, J.K. Rowling dispara discurso transfóbico: “Estou ansiosa para ser presa”

J.K. Rowling voltou a usar o seu perfil nas redes sociais para fazer declarações polêmicas sobre a Lei de Crimes de Ódio e Ordem Pública que entrou em vigor nesta segunda (01), na Escócia. A autora de Harry Potter atacou as pessoas trans e disse que está ansiosa para ser presa caso suas declarações forem consideradas um crime.

“Obviamente, as pessoas mencionadas nos tuítes acima não são mulheres, mas homens”. A autora da saga ainda ressaltou que “liberdade de expressão e de crença” chegaria ao fim se “a descrição precisa do sexo biológico fosse proibida”.

“Estou fora do país, mas se o que escrevi aqui for qualificado como um delito nos termos da nova lei, estou ansiosa para ser presa quando voltar ao berço do Iluminismo Escocês”, declarou, criticando a lei. “Os legisladores escoceses parecem ter dado mais valor aos sentimentos dos homens que realizam sua ideia de feminilidade, por mais misógina ou oportunista que seja, do que aos direitos e liberdades das mulheres e meninas reais”, disse.

“É impossível descrever ou enfrentar com precisão a realidade da violência e da violência sexual cometida contra mulheres e meninas, ou abordar o atual ataque aos direitos das mulheres e meninas, a menos que possamos chamar um homem de homem”, continuou.

A Lei de Crimes de Ódio e Ordem Pública entrou em vigor nesta segunda (01), e a pena máxima prevista é de sete anos. O primeiro-ministro da Escócia, Humza Yousaf, explicou que a nova legislação não criminaliza o debate de ideias e nem diminuiu a liberdade de expressão.

Arthur Aguiar

Você vai curtir!