Na Bahia, a Basílica Santuário Senhor do Bonfim acolheu a mulher trans para a cerimônia do lava-pés durante a Santa Missa da Ceia do Senhor

Pela primeira vez, mulher trans participa da cerimônia do lava-pés na Basílica Santuário Senhor do Bonfim em Salvador

A Basílica Santuário Senhor do Bonfim, em Salvador, Bahia, acolheu pela primeira vez uma mulher trans na cerimônia do lava-pés durante a Santa Missa da Ceia do Senhor, na noite da última quinta-feira (28). Um passo importante da igreja rumo a aceitação da diversidade dentro do universo católico.

O momento faz parte da programação da Semana Santa para os católicos, contou com a participação de 12 pessoas que representaram a diversidade étnica, religiosa, social e racial presente na sociedade. A escolha dos participantes foi inspirada na Campanha da Fraternidade 2024, com o lema: “Vós sois todos irmãos e irmãs”, reforçando a mensagem de igualdade e acolhimento.

A inclusão de uma mulher trans na cerimônia do lava-pés representa um passo importante para a comunidade LGBTQIAPN+, que historicamente enfrenta marginalização e exclusão dentro da Igreja Católica. O ato simbólico demonstra a abertura da Basílica do Bonfim para a diversidade e o reconhecimento de que todas as pessoas, independentemente de sua identidade de gênero e orientação sexual, são amadas e acolhidas por Deus.

A presença de uma mulher trans na Basílica do Bonfim representa um marco histórico para a comunidade LGBTQIAPN+ na Bahia e no Brasil. A comunidade, que historicamente enfrenta discriminação e preconceito dentro da Igreja Católica, vê neste ato simbólico um sinal de esperança e reconhecimento.

Lava-pés é um momento de reflexão e significado religioso, onde Jesus Cristo lava os pés de seus discípulos como um gesto de humildade e serviço. A participação de uma mulher trans neste ritual reforça a mensagem de que todos somos iguais aos olhos de Deus e que o amor e a compaixão devem ser direcionados a todos, sem distinções.

Arthur Aguiar

Você vai curtir!