Há três anos, Maya Massafera já demonstrava desejo de transição: “Nunca me encaixei no masculino”

Desde a última quinta-feira (09/05), Maya Massafera vem dando o que falar desde a sua primeira aparição na redes sociais, após passar pelo seu processo de transição. No entanto, a youtuber já demonstrava o desejo de mudar de gênero. Um vídeo resgatado por internautas mostra quando Maya confessou seu desejo de ter vindo ao mundo uma menina se pudesse. O desabafo aconteceu há três anos, quando a apresentadora comemorou o seu aniversário de 40 anos.

“Quando eu era criança, se me perguntassem: ‘Mattteus, como você quer voltar para Terr?’. Eu escolheria voltar como menina, porque eu nunca me encaixei no mundo masculino. Tinha medo, todo o santo dia, de ir para escola. Sofria muito bullying. Sofri muito na minha infância e adolescência”, iniciou ela no registro. No relato, Massafera relembrou ter ganhado uma máscara da Mulher Maravilha, aos 6 anos, que usava escondido. “Na época era errado, sofria todo dia na escola, não podia contar para os pais, que na época, eles também achavam que era errado. Hoje, eles entendem”, disse a apresentadora.

A influencer finalizou dizendo que por conta dos ataques que sofria chegou a pensar em tirar a própria vida. “Tentei suicídio. Eu nunca quis morrer. Sempre amei a vida. Só que era um momento da minha adolescência que eu estava sofrendo muito homofobia, e eu queria chamar a atenção dos meus pais. Não morri por pouco”, relembrou ela. Por fim, Maya detalhou os percalços que precisou superar na vida e deixou um alerta. “40 anos. Eu já tentei suicídio, fui sequestrado, meu primeiro namorado, com quem fiquei dois anos, se suicidou, perdi um irmão, de 18 anos, que morreu. Quando você vir uma foto bonita no Instagram, a gente acha que tudo é perfeito”.

O suicídio é considerado um problema de saúde pública. No Brasil, são 15.507 casos por ano, uma média de 42 suicídios por dia. Para cada suicídio, estima-se que 25 pessoas façam uma tentativa e muitas mais pensam seriamente nele. O Centro de Valorização da Vida (CVV) pode ajudar por meio do número 188. A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo, voluntária e gratuitamente, todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, podem buscar ajuda por telefone, e-mail, chat e Skype, 24 horas, todos os dias.

Confira

Felipe Sousa

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Você vai curtir!