Jovem é impedido de doar sangue por ser gay: “Fui barrado de salvar uma vida”

12321377_1098773163476313_4783803727739854743_n

O internauta Gabriel Fonini usou o seu perfil no Facebook para denunciar um caso de preconceito sofrido dentro Hemorio, no Centro do Rio de Janeiro. Segundo conta na publicação, na sexta-feira (01/04), ele foi impedido de doar sangue por ser homossexual.

“Ao chegar, fui super bem atendido, e nem demorou muito a me chamarem no consultório. Ao entrar no consultório, a médica me pediu para me pesar. 80,9 kg. Um homem saudável. Não uso droga alguma, nem mesmo álcool tenho o costume de beber. Pratico esportes e me alimento bem”, conta Gabriel, que mesmo sendo uma pessoa saudável, foi barrado ao revelar sua condição sexual.

“Fui barrado de talvez salvar uma vida, por que já tive relações com outro homem. Devo ser mesmo uma aberração cujo sangue foi corrompido”, continua. Já no final, Gabriel conclui que deveria ter mentindo no formulário para conseguir realizar a doação. Na publicação, seguidores saíram em defesa do jovem.

“É um absurdo completo. Não faz o menor sentido”, comentou um internauta. “Essa regra é injusta e cruel, pra não dizer absurda. Sinto muito que você tenha tido que passar por isso. Você sabe que não há nada de errado com vocês dois”, disse uma usuária.

Confira a publicação…

Hoje, eu, Gabriel Fonini, no dia 01/04/2016, decidi ir ao hemorio do Centro do Rio de Janeiro, nessa manhã de…

Publicado por Gabriel Fonini em Sexta, 1 de abril de 2016

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!