Mãe morreu ao se jogar na frente de filho durante ataque em boate gay

mae-filho-boate-pulse-pheeno-capa

Uma das vítimas do ataque à boate Pulse, em Orlando, morreu ao salvar o próprio filho. Brenda McCool, 49 anos, estava dançando no local com o filho, Isaiah Henderson, e uma sobrinha quando Omar Mateen invadiu a casa de shows e matou 49 pessoas a tiros, além de ferir 53, durante a madrugada do último domingo.

No momento do ataque, para proteger o filho, a mulher se atirou na frente de Isaiah e foi baleada. “Brenda viu ele [o atirador] apontar a arma. Ela disse ‘se abaixe!’ para Isaiah e se atirou na frente dele”, contou Ada Pressley, cunhada de Brenda, à imprensa local. “Ela morreu atingida pelos tiros. Isto era quanto ela amava seus filhos. Se não fosse por ela, ele teria sido morto”, continuou a cunhada da vítima.

Durante a confusão, ela, o filho e a sobrinha foram separados. Eles foram resgatados pela polícia, e ficaram horas sem saber se ela tinha sobrevivido ao ataque. A morte dela foi confirmada ontem (13). “Eu estou aqui pensando que há 24 horas eu estava com a minha mãe. Isso é muito surreal. Eu te amo, mamãe”, comentou o filho da vítima.

Segundo parentes, mãe e filho tinham o costume de sair juntos e se divertir no sábado à noite. O objetivo da mãe era demonstrar que apoiava o filho homossexual, disse familiares em entrevista a imprensa. Em uma das suas últimas publicações no Facebook, Brenda falou sobre a importância da família para ela.

“Enquanto ensinamos tudo sobre a vida aos nossos filhos, eles nos ensinam o significado da vida. Abrace, incentive, reconheça e os ame incondicionalmente”, escreveu. Natural de Nova York, Brenda deixa 11 filhos e um ex-marido. Ela também já tinha superado uma batalha contra dois tipos de câncer.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!