Brasil perde 18 milhões de litros de sangue por ano por preconceito contra homossexuais

sangue-gay

No Brasil, um grave preconceito ainda desperdiça 18 milhões de litros de sangue. O motivo é que, por aqui, gays são impedidos de doar sangue, exceto se tiveram um ano sem manter relações sexuais! Com isso, a restrição acaba representando um desfalque considerável nos estoques de sangue.

Em 2014, apenas 1,8% da população brasileira doou 3,7 milhões de bolsas. Pode até ser bastante sangue, mas segundo a ONU, o desejável é que de 3 a 5% da população de uma nação seja doadora. Mas só conseguiríamos chegar nesse ideal de 3% se o número de brasileiros que vão regularmente aos hemocentros dobrasse.

bolsa_de_sangue

De acordo com o IBGE, 101 milhões de homens vivem no país e, do total, 10,5 milhões é homo ou bissexual. Levando em consideração que cada homem pode doar até quatro vezes em um ano, com a restrição dessa parcela da população, são desperdiçados 18,9 milhões de litros de sangue por ano. E acredite, até 2004, no Brasil, os homossexuais não podiam doar sangue de jeito nenhum!

O Ministério da Saúde segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde(OMS) e da Organização Pan-Americana de Saúde(OPAS) sobre a restrição de HSH (homens que fazem sexo com homens), de que todas as amostras de sangue sejam analisadas e de que os doadores sejam de baixo risco. O Ministério da Saúde afirma que mantém a restrição por motivos científicos e que seus critérios não são discriminatórios.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!