Porto-riquenho perde a chance de ser 1º campeão gay do boxe e sofre homofobia na web

1

O sonho de se tornar o primeiro boxeador gay a conquistar um cinturão mundial acabou nesse último sábado (26/11) para o atleta Orlando Cruz, que concorri ao título do peso-leve do Conselho Mundial de Boxe (CMB), em Cardiff, no País de Gales.

A expectativa terminou em oito round, logo após Cruz ser nocauteado pelo britânico Tony Flanagan. A derrota acabou gerando ofensas homofóbicas nas redes sociais. Peter Fury, tio e técnico do polêmico ex-campeão Tyson Fury, foi um dos que atacou o porto-riquenho. “Esta é a diferença de um homem verdadeiro e metade de qualquer outra coisa”, disse o treinador.

2

3

Quem também destilou preconceito em forma de comentário foi o pugilista britânico, Frankie Gavin, que soltou o famoso “tenho até amigos gays”. “Não tenho nada contra pessoas gays, tenho amigos gays. Mas, se eu perdesse para um pugilista gay, seria alvo de piadas de amigos a minha vida inteira. Então Flanagan tinha de vencer”, disse.

Orlando Cruz se revelou homossexual em 2012. Na noite de sábado, fez sua décima luta desde o anúncio; a primeira, porém, na categoria. Vale ressaltar que Flanagan jamais perdeu em 31 lutas como profissional.

4

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 21 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Comentários no Facebook