Homem fica com ereção permanente após cirurgia plástica

Viciado em cirurgias plásticas, o croata Neven Ciganovic, de 45 anos, desenvolveu uma ereção permanente como reação à anestesia durante uma rinoplastia para consertar um desvio de septo. A condição, conhecida como priapismo, é involuntária, dolorosa e pode durar por horas. Ao contrário das ereções “normais”, no priapismo, a reação não precisa de nenhum estímulo e o pênis não volta ao estado flácido após a ejaculação.

O problema é causado por insuficiência da drenagem do sangue que enche os corpos cavernosos do pênis e pode ser desencadeado por qualquer coisa que afeta o sistema nervoso, mas geralmente ocorre após a administração de medicamentos ou anestésicos que dilatam os vasos sanguíneos responsáveis pela ereção. Caso não seja tratada, a reação pode causar danos irreversíveis, levando até mesmo à disfunção erétil.

No caso do croata, o efeito foi percebido no quarto, logo após a intervenção. Apesar da rinoplastia ter sido realizada no Irã, Ciganovic recebeu tratamento para o priapismo em um hospital de Belgrado, na Sérvia, onde mora. A intervenção consistiu na abertura de um canal que criou uma nova rota para a drenagem do fluxo sanguíneo. A recuperação total, porém, deverá demorar pelo menos um mês.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!