Após rede de mulheres, ativistas LGBTs criam grupo no Facebook contra Bolsonaro

Criado no Facebook na última segunda-feira (10/09), o grupo “Sou LGBT+ e tô na rua contra o Bolsonaro e o fascismo” já conta com 24 mil participantes. Com mais de 150 mil integrantes, o “grupo é destinado a todos os LGBTI+ e todos que apoiam nossas causas na luta contra o candidato de extrema-direita que já disse preferir ter um filho morto a um homossexual”.

Antes de entrar, é preciso responder a algumas perguntas e esperar a análise do administrador do grupo. Além disso, a rede faz algumas exigências aos membros, como ser LGBT+ ou simpatizante ao movimento, ser contra o Bolsonaro, não promover discurso de ódio, bullying ou discriminação política, e não divulgar spam, promoção ou fake news.

Nesta semana, o grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” também ganhou destaque no Facebook, somando mais de 1,1 milhão de participantes na rede social. Criado no dia 30 de julho o grupo possui um único objetivo: se posicionar a favor de seus direitos e contra Bolsonaro, conhecido por declarações e atos machistas.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!