Escócia é primeiro país do mundo a aprovar educação sobre LGBTI nas escolas

A Escócia acaba de se tornar o primeiro país do mundo a incorporar o ensino dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais no currículo escolar. A medida, aprovada nesta sexta-feira (09/11), é celebrada por ativistas dos direitos LGBTI como um “momento histórico”.

Os ministros escoceses aceitaram, na íntegra, as recomendações de um grupo de trabalho liderado pela campanha “Time for Inclusive Education” (TIE, sigla que, em tradução livre, significa “Tempo para Educação Inclusiva”). Com isso, as escolas públicas serão obrigadas a ensinar os alunos sobre a história das igualdades e dos movimentos LGBTI, bem como combater a homofobia e a transfobia e explorar a identidade dessa fatia da população.

“Esta é uma vitória monumental para a nossa campanha e um momento histórico para o nosso país. A implementação da educação inclusiva LGBTI em todas as escolas do Estado é pioneira. Em um momento de incerteza global, isso envia uma mensagem forte e clara aos jovens LGBTI de que eles são valorizados aqui”, disse Jordan Daly, cofundador da campanha TIE.

Um estudo encomendado pela TIE descobriu que nove em cada dez escoceses que são membros da comunidade LGBTI sofreram homofobia na escola, e 27% relataram ter tentado suicídio após serem vítimas de bullying. A investigação também mostrou que havia pouca compreensão dentro das escolas sobre o preconceito contra pessoas com variações de orientação sexual e de gênero e corpos intersexuais.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!