Lana Almeida, do grupo LDRV, relembra início de carreira na prostituição

Se você faz parte do grupo do Facebook LDRV, certamente deve conhecer a transexual Lana Almeida! Sucesso na rede social, a jovem de 19 anos coleciona, além de muitas curtidas, milhares de visualizações em seu canal no YouTube. Por lá, Lana compartilha detalhes do seu dia-a-dia como mulher trans e garota de programa.

Um dos seus últimos vídeos, por exemplo, publicado no último dia 20 de novembro, a youtuber compartilhou com os seus mais de 100 mil inscritos o seu primeiro dia como garota de programa. “O meu primeiro programa foi há uns três anos atrás, quando estava em transição e minha família não me aceitava”, conta ela, que acabou sendo expulsa de casa depois de assumir sua condição sexual para a família. Após passar por um abrigo, Lana procurou a ajuda de uma tia evangélica, que a acolheu dentro de casa.

No entanto, as desavenças com a tia e a falta de dinheiro fizeram com que a jovem, na época com 15 anos, recorresse à prostituição. “Eu fui e me anunciei num site, e aí muitos caras me ligaram”, conta a transexual. “Eu recebia umas 40 ligações e recusava 41”, brinca ela, que apesar do medo, topou entrar no mundo da prostituição. “Lembro que no primeiro programa eu tive que pular o muro de casa… na época eu cobrava R$ 100”.

“Eu ia pra rua às 18h e voltava 00h”, lembra. “Na primeira oportunidade que eu juntei dinheiro, fui colocando silicone, colocando o meu peito… eu investia em mim”. Fora da casa da tia e morando com um amigo, Lana conta que largou o site e passou a fazer programas na rua, próximo a sua casa atual. “Eu desci nesse ponto e não parei”.

Assista

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!