Primeira professora universitária transexual do Brasil morre aos 35 anos

Morreu na manhã desta terça-feira (13/11), aos 35 anos, Leilane Assunção, primeira professora universitária transexual do Brasil. Leilane estava internada há um mês no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, para tratar uma infecção causada por um fungo.

Desde que foi internada, a professora enfrentou uma série de dificuldades dentro do hospital. Ficou por dias em uma área isolada. Debilitada, Leilane ainda encontrou bastante forças para lutar e apresentou melhoras em alguns dias, mas morreu por contágio fúngico. O velório acontece nesta quarta-feira (14/11), no cemitério do Bom Pastor, na capital pernambucana.

Graduada em história, ela fez mestrado e doutorado. Leilane estava cursando atualmente pós-doutorado em Ciências Sociais. A docente também tinha a imagem marcada pelo seu ativismo na pauta LGBT e defensora da descriminalização das drogas. Nas redes sociais, ex-alunos e colegas do movimento ativista lamentaram a perda e enviaram condolências aos familiares e amigos.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!