Casa 1, local de acolhimento para LGBTs, vai fechar; saiba como ajudar

Conhecida por abrigar pessoas LGBTQI+ que foram expulsas de suas residências por seus familiares, a Casa 1 anunciou que irá encerrar suas atividades no final deste ano por falta de recursos para manter o local. O espaço, localizado no centro de São Paulo e é conhecido também por realizar atividades culturais na região, não tem mais como manter as 20 pessoas que vivem no local hoje.

A notícia foi dada por Iran Giusti, organizador da Casa 1. Segundo ele, o projeto, que se sustenta somente por doações desde janeiro de 2017, só tem recursos para se manter até dezembro de 2019. Iran diz que todos os projetos e ações do local custam cerca de R$ 40 mil mensais. Em entrevista ao Yahoo, ele afirmou que a ideia inicial do projeto era que ele mesmo fizesse tudo sozinho, ao menos no primeiro ano, e que, com o tempo, ele se tornasse algo mais coletivo.

“A eleição do [Jair] Bolsonaro influenciou na decisão de fechamento em especial pelo completo desaparecimento de empresas e organizações [que topassem ajudar] assim que ele foi eleito”, disse Iran, que acredita que o projeto só continuará se acontecerem novas doações. “Seguiremos ao longo do ano tentando editais, projetos com empresas e incentivando as doações de pessoas físicas, mas tendo em vista os últimos cinco meses, não prevemos muito êxito”, informa a organização, no comunicado.

Felizmente, você pode colaborar para que o espaço continue ajudando a população LGBT. Através de um financiamento recorrente disponível no site Benfeitoria, a Casa 1 recebe doações. É possível contribuir doando a partir de R$ 10 mensais ou realizando um depósito diretamente na conta da instituição:

Centro de Acolhida e Cultura LGBT Casa 1

Banco Itaú
Ag: 0251
Cc: 13.581-0
CNPJ: 29.150.382/0001-11

Quem contribuir com R$ 20, R$ 30 ou R$ 50 recebe mensalmente um agradecimento através das redes sociais do projeto. Em compensação, quem investir R$ 150 mensais terá direito a uma obra de arte criada por um artista LGBT todos os meses, para decorar a casa fazendo o bem.

O objetivo inicial era arrecadar um valor de R$ 33,450 mil ao mês, o que foi atingido após uma live em que as contas do espaço eram detalhadas. Agora, a meta foi atualizada para R$ 50 mil mensais, o que possibilitaria a criação de um fundo de caixa, além da manutenção do local.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!