Gay solteiro adota bebê com síndrome de down rejeitado por 20 famílias

O italiano Luca Trapanese, de 41 anos, adotou a menina Alba em 2017. Ele sempre teve o sonho de ser pai e faz trabalho voluntário em Nápoles. Lá, ele ajuda a adultos e crianças com deficiência. Alba, uma menina com síndrome de Down, foi rejeitada por mais de 20 famílias antes de encontrar Trapanese. No entanto, o caminho para a adoção não foi fácil.

“Disseram-me que só me apresentariam crianças com doenças, deficiências graves ou problemas comportamentais – uma criança que tivesse sido rejeitada por todas as famílias tradicionais”, contou à BBC. “Eu estava completamente de acordo. Graças à minha experiência pessoal, sabia que possuía os recursos necessários para lidar com os problemas que a criança tivesse”.

“Uma criança com deficiência não é uma oportunidade da série B, mas uma escolha consciente em relação à minha vocação e minhas habilidades”, afirma. Luca Trapanese ainda lançou um livro contando sua história. A obra é chamada “NATA PER TE” – “Nascido Para TI”, em tradução livre. Na publicação, ele fala sobre o desejo de paternidade, a adoção por parte de pessoas solteiras e a escolha consciente de um filho deficiente, inspirando a muitos aspirantes a serem pais e mães por aí.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!