RJ: responsáveis por projeto de capacitação trans lançam livro sobre transgeneridade e gastronomia

Esperança sempre, desistir NUNCA!

Breno de Paula Andrade Cruz e Arthur Dutto, professor e aluno, respectivamente, do curso de gastronomia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), lançam livro de estudo de caso que correlaciona a transgeneridade e a gastronomia.

“COZINHANDO SONHOS: como futuros gastrônomos planejam empreendimentos socialmente responsáveis” é o resultado de 3 estudos acadêmicos, sugeridos pelos professor Breno de Paula Andrade Cruz e,com a ajuda de Arthur Dutto, organizaram e lancaram o livro, ambos fazem parte do curso de gastronomia da UFRJ.

O livro surgiu dentro do projeto “TransGarçonne – curso de qualificação para o trabalho em Gastronomia”, coordenado por Breno que tem a intenção de capacitar para o mercado de trabalho pessoas trans, através da gastronomia. “Pessoas trans muitas vezes elas estão fora das escola, do ambiente formal escolar, porque muitas vezes são agredidas na escola, no ensino médio ou no ensino fundamental e acabam saindo da escola pra justamente não sofrerem mais essa violências”, explica Breno.

“O TransGarçonne surge com o objetivo de deixar claro que essas pessoas não podem continuar negligenciadas no mercado de trabalho formal”, continua o professor e coordenador do projeto, que acontece no Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC/CCS), no Ilha do Fundão, zona norte do Rio.

“Cozinhando Sonhos” é resultado do caso de ensaio ‘Abre a porta do bar e deixa as mina gerenciar’ como estratégia pedagógica para resolução dos impasses de uma jovem feminista na abertura de um bar, sugerido dentro da sala de aula, onde os futuros gastrônomos deveriam criar e gerenciar um empreendimento com responsabilidade social referente à questão da transgeneridade e o ao feminismo.

Como produto desses ensaios nasceram 3 bares: o Malala’s Bar, inspirado em Malala Yousafzai, Prêmio Nobel da Paz por sua luta pela educação de meninas paquistanesas; o Bar das Sílvia’s, uma homenagem à Silva Regina de Oliveira, primeira árbitra brasileira de futebol; e o Bar LuTz, nome inspirado em Bertha Lutz, militante feminista brasileira da década de 20, que criou em 1932 a Fundação Brasileira pelo Progresso Feminino.

Além dos 3 ensaios de caso, também são abordadas as histórias de vida de Rochelly Rangel (mulher trans) e Renato Monteiro (homem trans), que apresentadas nos dois últimos capítulos. Se Renato não sofreu para transicionar dentro de uma universidade pública, Rochelly participou de 200 processos seletivos em quatro meses e recebeu 200 nãos – sua história real se assemelha aos diversos assédios sofridos por Tifanny no caso de ensino.

“Eu enquanto professor decidi de não me furtar sobre essas questões dentro da gastronomia”, comenta Breno, que ensina planejamento estratégico em alimentação e faz questão de abordar responsabilidade social corporativa, principalmente nos dias atuais, ““ nesse contexto de desinvestimento em universidade pública, publicar [um livro] é um ato de resistência a esse contexto”.

O livro “COZINHANDO SONHOS: como futuros gastrônomos planejam empreendimentos socialmente responsáveis” tem seu pré-lançamento agendado pra esta segunda-feira dia 04/11, a partir das 18h no Quiosque Chopp Brahma, no Leme (zona sul carioca), com lançamento oficial marcado para o dia 13/11 na UFRJ.

Serviço

Pré-lançamento Cozinhando Sonhos | Ensaios sobre responsabilidade social na gastronomia
Segunda, 04/11, no Quiosque Chopp Brahma.
Entrada gratuita.
Av. Atlântica, Sn, Leme, Rio de Janeiro – RJ. A partir das 18h.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e o mais novo colaborador para conteúdos sobre diversidade LGBTQIA+ para o portal Pheeno.com.br