Linn da Quebrada diz que isolamento social já era comum para transexuais antes da pandemia

Em recente entrevista ao programa Trace Trends, da Rede TV, a cantora e atriz Linn da Quebrada falou sobre a representatividade trans e refletiu sobre as condições das pessoas trans e travestis no mercado de trabalho.

Atualmente à frente do programa “TransMissão” e no elenco de “Segunda Chamada”, ela comenta como é dar voz e inserir pessoas LGBTs no mercado convencional. “Não acho, necessariamente, que eu tenha chegado no mainstream. Sou exceção. Isso não quer dizer que todas nós, enquanto travestis e pessoas trans, consigamos ter essa abordagem, ter respeito e, nem ao menos, ingressemos no mercado de trabalho. Acho que essas são pautas básicas e realmente de urgência”, pondera.

Para Linn, o fato de ela estar na TV aberta contribui para mais representatividade. Linn também destaca a atriz Glamour Garcia, a Britney de “A Dona do Pedaço“, e a deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL-SP). Para a artista, é preciso fazer muito mais. “Continuar abrindo essas fissuras no sistema para que cada vez mais de nós possamos usufruir disso tudo, porque ter uma pessoa só preta, uma só travesti ou uma só com deficiência, isso não é representatividade. Para que tenha representatividade é preciso pluralidade de corpos e existências, conta.

Linn também comenta como a pandemia do novo coronavírus escancara a desigualdade social. “Quem pode se proteger? Quem pode ficar em casa?”, questiona ela, refletindo sobre uma situação enfrentada há muito tempo por transexuais e travestis. “Esse isolamento social já existia. Nós já fomos afastadas do meio social, fomos afastadas da escola, do mercado de trabalho e, até mesmo, das nossas famílias. Mas acredito que todas essas crises possam servir para desviar o caminho. Acredito que seja um momento de oportunidade de elaborar novas estratégias.”

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!