MS lança campanha para a web que desmistifica a ideia de um perfil soropositivo

A Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, lançou a campanha “A AIDS não tem cara e não tem cura – use camisinha”. O objetivo principal da ação é desmistificar a ideia da existência de um perfil ou aparência que defina quem é soropositivo e quem não é. A campanha também conta com uma ação na internet.

Em um vídeo da ação disponível no YouTube, eles mostram diferentes raças, gêneros e orientações sexuais, se autodeclarando um indivíduo completamente oposto deles. “Queremos conscientizar a população de que, na verdade, toda pessoa sexualmente ativa esta sujeita a infecção pelo HIV ou outra DST em caso de sexo desprotegido. Basta uma vez! A prevenção é uma responsabilidade de cada um de nós”, afirma o presidente da Comissão DST/AIDS do Conselho Municipal de Saúde e coordenador especial da Diversidade Sexual, Carlos Tufvesson. Lucinha Araujo, mãe do cantor Cazuza, morto vítima da AIDS, também aparace ao final do vídeo.

De acordo com a Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Prática na População Brasileira (PCAP), 45% da população sexualmente ativa dos brasileiros não usaram camisinha nas relações sexuais casuais nos últimos 12 meses, sendo que 94% sabem que a camisinha é a melhor forma de prevenção às DST e AIDS. Atualmente, 400 mil pessoas estão em tratamento. Segundo dados, jovens de 13 a 19 anos são o segmento populacional mais infectado pelo vírus.

Confira o vídeo da campanha…

Apoio: Ministério da Saúde – #PartiuTeste

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!