Bebê terá documento sem identificação de sexo para ‘decidir gênero quando crescer’

Um bebê canadense de oito meses é provavelmente o primeiro caso no mundo de recém-nascido que recebeu um cartão de saúde sem um identificador de gênero. O cartão de saúde da criança terá um “U” no espaço reservado para “sexo”, letra que simbolizará “indeterminado” ou “não atribuído”.

Kori Doty agora está tentando omitir o gênero de Searyl Atli também da certidão de nascimento. Seu progenitor Kori Doty – uma pessoa transgênero não binária que não se identifica com pronomes nem no masculino nem no feminino – afirma que quer dar oportunidade ao filho de descobrir seu próprio gênero.

“Eu estou educando Searyl de forma que ‘eles’ tenha um senso de si e domínio do vocabulário para me dizer quem ‘eles’ é, eu ‘os’ reconheço como um bebê e estou tentando dar todo o amor e apoio para ‘eles’ ser uma pessoa completa ao máximo, fora das restrições acompanhadas pelas determinações de menino ou menina”, afirmou Kori à “CBC”.

Algumas províncias, como Ontario e Alberta, estão revendo suas políticas para incluir uma terceira opção nos documentos, o gênero não-binário. Kori, contudo, que é integrante da Coalisão de Identidade sem Gênero no Canadá, foi além em seu pedido judicial, já que argumentou para não incluir opção alguma na certidão de seu bebê.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!