Pesquisadores descobrem proteína de planta brasileira que pode ser usada na cura do HIV

SHUTTERSTOCK

Uma substância presente na planta Abrus pulchellus tenuiflorus, que faz parte da flora brasileira, pode combater células infectadas com HIV e até com câncer. A descoberta foi feita por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) de São Carlos, no interior de São Paulo, em parceria com cientistas americanos.

Para elaborar o estudo, os cientistas extraíram da planta uma proteína chamada Pulchellina, já conhecida como uma potente toxina vegetal. A proteína foi combinada com anticorpos e combateu glóbulos brancos [células do sistema imunológico que defendem o organismo contra doenças] infectados pelo HIV.

Eles descobriram que a mistura da proteína puchelina com os anticorpos identifica somente as células doentes, matando o HIV. Já os glóbulos brancos sadios não são atingidos. O pesquisador iraniano que coordenou os testes explica que a substância age em pouco tempo; 90% das células infectadas com o vírus HIV morrem em dez minutos.

Hoje, os medicamentos matam só os vírus que estão circulando no organismo e provocam geralmente diarreia, vômito e manchas. Já a substância produzida na USP consegue eliminar também os vírus que estão escondidos no corpo, em lugares como o sistema linfático e em partes do intestino.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!