Gays tendem a ter mais amigas do sexo feminino, diz estudo

Um estudo com mais de 25 mil norte-americanos confirmou o que muita gente já achava: homens gays tendem a ter mais amigas mulheres do que homens heterossexuais. De acordo com pesquisadores da Universidade de Chapman, em Orange, na Califórnia, este é o estudo mais abrangente já feito sobre o papel da amizade para população LGBT.

O objetivo principal de David Frederick, autor do estudo, a ideia era descobrir como a orientação sexual pode interferir em questões sobre amizade, e como ter amigos contribui para o bem-estar de LGBTs. Mas a pesquisa também tinha interesse em avaliar o que os psicólogos chamam de “homofilia de gênero”, ou seja, a ideia de que as pessoas tendem a gravitar em torno de indivíduos mais parecidos com elas próprias.

Os especialistas sempre consideraram que mulheres héteros costumam ter mais amigas do mesmo sexo, e homens heterossexuais, mais amigos homens, pela ausência de tensão romântica ou sexual. Além disso, isso previne eventuais reações de ciúme por parte dos parceiros. A pesquisa contou com 25.185 entrevistados com idade média de 42 anos: 11.924 homens heterossexuais, 387 homens bissexuais, 343 homens gays, 220 mulheres lésbicas, 511 mulheres bissexuais e 11.800 mulheres heterossexuais.

Ao questionar sobre os amigos com os quais os entrevistados se sentiam melhor para discutir sua vida sexual, eles descobriram que os jovens homossexuais dão preferência às mulheres. Os pesquisadores acreditam que isso acontece porque elas são menos propensas a ter preconceito contra os gays.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!