Em nova entrevista, Nego do Borel diz que foi vítima em polêmicas com comunidade LGBT

Entrevistado do jornal Extra da última segunda-feira (21/10), Nego do Borel voltou a falar sobre duas polêmicas envolvendo à comunidade LGBT que marcaram a sua carreira.

A primeira foi sobre o clipe “Me Solta”, em que o cantor foi bastante criticado e acusado nas redes sociais de querer se promover em cima da causa LGBT. No vídeo, Nego aparece travestido e beija um homem na boca. Segundo ele, sua intenção era quebrar preconceitos dentro da comunidade. “‘Me solta’ é um grito de liberdade”, afirma o cantor. Mesmo com as criticas, a produção acabou sendo indicado ao Grammy Latino. “É bem especial, porque fui eu que idealizei tudo. Criei a música, pensei no roteiro do clipe… Nunca imaginei obter reconhecimento internacional”, afirmou.

Ainda na entrevista, Nego relembrou o episódio com Luisa Marilac. Em janeiro, a transexual o elogiou pelo Instagram e ele respondeu: “Você é um homem gato também. Parabéns, deve estar cheio de gatas”. A fala do cantor acabou gerando uma enorme comoção e revolta em LGBTs, que saíram em defesa da influenciadora. “Fui infeliz. Quis ser engraçado e errei. Mas aprendi muito. Hoje, sei que o que falo tem muito peso, preciso ter cuidado. Fui a São Paulo, e a gente fez as pazes. Ela me falou: ‘Nego, você é gente boa, fica tranquilo” disse o cantor.

“Entendi o posicionamento da Luisa. A comunidade LGBTQI+ luta muito para normalizar o olhar sobre ela, muitos morreram e ainda morrem por causa do preconceito. Aprendi a lição: não se brinca com isso, e ninguém é obrigado a entender as minhas brincadeiras”, completou. Nego encerra afirmando ter sido “vítima” na polêmica. “Cheguei a chorar de tristeza. Pessoas me atacaram e me julgaram preconceituoso, coisa que eu não sou. Nem posso ser! Sou de família negra, pobre e favelada. Já sofri muito preconceito na vida, sei bem o que é isso. Acho que fui mais vítima… Todo mundo merece uma segunda chance. Eu me arrependi, mas muita gente continua me atacando. Se aproveitam da situação para tripudiar em cima de mim”, encerrou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!