“Ser gay é um presente de Deus”, diz Tim Cook, CEO da Apple

Fora do armário desde 2014, o CEO da Apple, Tim Cook, afirmou em entrevista à revista People que não se arrepende de ter se assumido publicamente e que ser gay não deve ser algo que impede qualquer pessoa de realizar o que quiser.

“Só posso falar por mim mesmo, mas ser gay é algo que me dá um nível de empatia que, provavelmente, é muito maior que a média das pessoas. Isso porque, por ser gay ou trans, por exemplo, você é uma minoria”, disse. “Eu acho que quando você faz parte da maioria, mesmo que intelectualmente possa entender teoricamente o que significa ser uma minoria, você não viveu isso na pele pra saber na prática”, explicou Tim.

“Gay não é uma limitação. É uma característica que espero que enxerguem como eu: sendo um presente de Deus. É isso que espero me assumindo publicamente: divulgar essa mensagem a todos os jovens que lutam com sua identidade, que não têm certeza de que são suficientemente resistentes ou bons o suficiente por conta disso, ou os que se sentem inferiores de alguma forma”, concluiu.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!