Prostituta pagou para espancar travesti em Fortaleza por disputa de clientes, diz polícia

A adolescente travesti de 17 anos espancada no Bairro Vila Velha, em Fortaleza, sofreu a violência a mando de uma mulher de 47 anos que atua como prostituta na região, informou a polícia. Três pessoas foram capturadas pelo crime, entre elas dois adolescentes e uma mulher de 20 anos. Outras três estão foragidas, incluindo a mandante da agressão.

O caso ocorreu no dia 29 de novembro, e foi registrado em vídeo por uma pessoa que incita a violência. As imagens mostram um grupo de cinco pessoas agredindo a adolescente, que é atingida com socos, chutes e golpes com um pedaço de madeira. Ela foge após a ação. “A vítima estaria, digamos assim, roubando a clientela. A prostituta atua naquela área há mais tempo e se sentiu incomodada pela presença da vítima”, explica o delegado Carlos Eduardo, responsável pela investigação. A mandante teria oferecido uma quantia de R$ 100 aos suspeitos da agressão, segundo o delegado.

Apesar de ter informado, inicialmente, que o crime não tinha relação com homofobia, o delegado reconhece que a hipótese está sob investigação, já que as imagens da violência mostram os agressores usando expressões homofóbicas e transfóbicas. “Nós verificamos que, durante as agressões, foram utilizadas expressões que, em tese, podem caracterizar outro crime. De acordo com o entendimento do STF, essas expressões podem caracterizar crime de homofobia, transfobia. Isso não está descartado”, retificou.

A polícia já identificou todos os envolvidos, que chegaram a ser ouvidos no 17º Distrito Policial no último dia 5 de dezembro. Eles alegaram que a agressão ocorreu porque a vítima costumava praticar roubos na área, o que não foi constatado pela polícia.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!