Ministro da Justiça defende Ana Paula Valadão e que cristão possa discordar do “homossexualismo”

O ministro da Justiça, André Mendonça, usou as redes sociais, nesta quinta-feira (03/12), para sair em defesa de Ana Paula Valadão, que vem sendo investigada pelo Ministério Público Federal por suas declarações homofóbicas durante o Congresso Diante do Trono, em 2016, na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte.

Respeito os homossexuais. Aliás, respeito é um princípio cristão! Contudo, isso não significa que o cristão deva concordar ou não possa questionar o homossexualismo (sic) com base em suas convicções religiosas. O próprio STF assim reconheceu. Os direitos às liberdades de expressão e religiosa são inalienáveis!!!”, publicou Mendonça no Twitter. “Por isso não aceito o processo de perseguição a que está sendo submetida a cantora e evangelista Ana Paula Valadão. Espero que a Justiça garanta os direitos desta cidadã brasileira, assim como tem garantido os direitos à liberdade de expressão de quem pensa em sentido contrário“, completou.

No Brasil, a discriminação e o preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional já é crime. Além disso, o STF reconhece desde 2019 os crimes de homofobia e transfobia. Vale lembrar que recentemente o Senado aprovou um projeto que prevê pena maior em caso de crimes citados acima. O texto não especifica qual será o aumento e precisa ainda passar pela Câmara dos Deputados, onde pode ser alterado.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!