Grindr é multado em mais de R$ 60 milhões por compartilhar ilegalmente dados de usuários

O Grindr recebeu uma multa de 100 milhões de krones noruegueses (cerca de R$ 62,9 milhões) após ser condenado pela Autoridade de Proteção de Dados da Noruega (APDN) pelo compartilhamento de informações pessoais de usuários a agências de publicidade.

Segundo informações do Pink News, o aplicativo repassou ilegalmente endereços de IP, a idade, sexo e localização de alguns usuários sem qualquer consentimento, colocando em risco a privacidade e segurança deles. Tobias Judin, chefe do setor internacional da APDN, observa que, como o aplicativo é um dos mais populares do mundo, a violação da privacidade pode ter colocado usuários em sério risco em países como Qatar Paquistão, onde ser gay ainda é crime.

Se alguém descobre que [os usuários] são gays e conhece seus movimentos, essas pessoas podem ser perseguidas”, disse o diretor. “Estamos fazendo com que essas plataformas e serviços entendam que essa abordagem — não informar usuários, não obter consentimento válido de compartilhamento de dados — é completamente inaceitável”.

Por meio de nota, um porta-voz do Grindr negou as acusações, afirmando que a empresa obteve a permissão de compartilhamento “de todos” os seus usuários europeus em repetidas ocasiões, exaltando sua política de privacidade como “de primeira classe”, se comparada a outros aplicativos do gênero. “Nós continuamente aprimoramos as nossas práticas de privacidade em consideração a evolução de leis e regulamentações, e estamos ansiosos de entrar em um diálogo produtivo com a Autoridade de Proteção de Dados da Noruega”, disse a plataforma. O Grindr tem até 15 de fevereiro para responder oficialmente à decisão.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!