Rapper Lil Mama quer criar “movimento de direitos heterossexuais” pra se defender de “bulliyng dos LGBTs”

E vamos de close erradíssimo! A rapper Lil Mama afirmou nesta semana que pretende criar um “movimento de direitos heterossexuais”. O objetivo, segundo a artista, seria para se defender do bulliyng promovido por LGBTs. As críticas da comunidade à cantora surgiram logo após declarações dela a respeito da filha trans do ex-jogador de basquete Dwyane Wade, Zaya Wade, de apenas 13 anos.

Na ocasião, logo depois de assistir a uma entrevista de Michelle Obama com Zaya, Lil compartilhou os seguintes pensamentos nas redes sociais: “Então, as crianças são muito novas para fumar, muito novas para beber álcool, muito jovens para tirar uma carteira de motorista, muito jovem para ir a um clube, muito jovem para jogar, muito jovem para alugar um carro, mas velhas o suficiente para cortar seus órgãos genitais e/ou ‘mudar’ de gênero? Esta é a loucura da América.

Ela, então, continua o texto afirmando que às pessoas trans como “um despovoamento a qualquer custo”. “Vocês lutam tanto para serem respeitados e ALGUNS de vocês, NÃO TODOS, se divertem intimidando as pessoas por terem uma opção [sic], como se vestem, como fica o cabelo e/ou maquiagem , quanto dinheiro eles têm etc. Há tantas pessoas com medo de dar sua opinião honesta porque, se o fizerem, os LGBTQ+ ouvirão o que eles querem ouvir e tomarão declarações fora do contexto.”

“Não tenho que provar meu valor lembrando às pessoas que tenho entes queridos na comunidade LGBTQ+. Quando falo, não estou tentando machucar ninguém, estou apenas falando minha verdade, assim como todos vocês”, finaliza a cantora.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!