Linn da Quebrada critica Pedro Bial após fala transfóbica do jornalista: “Inadmissível”

A cantora e atriz Linn da Quebrada criticou a entrevista que Pedro Bial realizou com o ex-jogador de futebol Ronaldo, exibida na última quinta (20/05) no programa ‘Conversa com Bial‘. Na ocasião, o jornalista relembrou o episódio do envolvimento de Ronaldo com as travestis, em 2008, e se referiu a elas com o pronome masculino.

É um absurdo. Mesmo depois de ter entrevistado a mim e ter acesso a tanta informação, ainda assim, o Bial se permitir erros tão irresponsáveis e cruéis com nossos corpos. Uma transfobia que corrobora com todo processo de marginalização ligado às nossas identidades. Inadmissível”, escreveu a artista, que aproveitou para compartilhar uma publicação da ativista e assessora parlamentar Ana Flor comentando a entrevista. “O Pedro Bial é visto como um intelectual por muitas pessoas. Estamos em 2021, e esse mesmo Pedro Bial está tratando as travestis no masculino, em seu programa de TV, numa entrevista com o Ronaldo. É cansativo ter que repetir que toda travesti deve ser tratada no feminino”, diz o post.

Não consigo gostar do Ronaldo. Principalmente quando percebo que ele parece manipular, para ficar evidência, o fato de já ter saído com algumas travestis. É terrível! Ele fala como se fosse o fim da vida dele. Pura transfobia. Chega a doer os ouvidos. Desde 2008 Ronaldo sustenta, de alguma maneira, essa narrativa transfóbica. Eu tinha 13 anos, e o Ronaldo contava essa história. Hoje, estou com 24, e Ronaldo segue contando a mesma história e contribuindo para um processo de marginalização das travestis“, continua Ana, na postagem reiterada pela artista.

A imprensa brasileira adora reiterar essa história. É muito fácil falar das travestis nesse sentido. Replicar, de diferentes formas, esse lugar de margem. Nossa, tenho uma repulsa dessa história e do conto que ela se tornou no Brasil. Eu tenho certeza que muitas pessoas que me seguem também cresceram sabendo dessa história do Ronaldo, né? Que ele saiu com as travestis, e conta até hoje como se fosse o castigo eterno da vida dele. Um suco de transfobia com sobremesa de exibicionismo“, conclui a pedagoga.

VEJA + NO PHEENO

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!