JK Rowling diz que ativistas trans querem estuprá-la por conta de suas declarações transfóbicas

A notória transfóbica JK Rowling está apavorada por sua segurança depois de ser alvo de uma multidão furiosa de internautas anônimos do Twitter. Pela rede social, nesta segunda-feira (19/07), Rowling afirmou que “centenas” de ativistas trans ameaçaram “espancá-la, estuprá-la, assassiná-la e bombardeá-la” por causa de seus ataques intermináveis ​​à comunidade trans.

Rowling deixou uma mensagem junto com o print exposto. “Para ser justa, quando você não pode fazer com que uma mulher seja demitida, presa ou demitida pela editora, e cancelá-la só fez as vendas de seus livros subirem, só há realmente um lugar para ir“, escreveu ela. Uma fã a questiona se as ameaças eram por conta de suas declarações transfóbicas. “Isso ainda é por causa dos seus comentários sobre a segurança de mulheres em banheiros/vestiários, já que homens podem usá-los por simplesmente dizer que se identificam como mulheres?”, perguntou o seguidor. “Sim, mas agora centenas de ativistas trans ameaçaram me espancar, estuprar, assassinar e me bombardear. Percebi que esse movimento não representa nenhum risco para as mulheres“, respondeu a escritora.

O “cancelamento” citado por Rowling é fruto de uma série de comentários transfóbicos feitos por ela ao longo dos anos. A autora de uma das séries mais famosas do mundo chegou a defender Maya Forstater, uma pesquisadora que perdeu seu emprego após se posicionar contrária a uma lei que defendia que pessoas trans se identificassem com o gênero que preferirem. Na época, Daniel Radcliffe, que deu vida ao personagem principal da saga criada da autora nos cinemas, respondeu Rowling afirmando que “mulheres trans são mulheres”.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!