Rosane Amaral foca no Réveillon 2022 e diz não para clandestinas: “Não quero esse carma pra mim”

Conversamos com a produtora Rosane Amaral no estúdio do Pheeno! Com 30 anos de carreira, ela conta que, quando começou, as festas LGBTQ+ eram praticamente escondidas, mas Rosane decidiu que não queria mais frequentar guetos e inferninhos, e começou a querer fazer eventos em lugares maiores.

Rosane compartilha como foi o nascimento dos seus principais projetos, a R:Evolution e a The Original Brazilian Pool Party, e relembra edições icônicas que aconteceram no La Isla e no Rio Water Planet. Com a pandemia, a carioca ficou sem poder trabalhar e expõe sua frustração ao ter um evento embargado em 2020 mesmo estando de acordo com tudo que estava autorizado pelos órgãos públicos.

Convidada a produzir festas clandestinas, ela é taxativa: “Não quero esse carma atrás de mim”. Rosane fala, ainda, de como foi o processo de se tornar DJ e as datas de seus próximos eventos, tanto no Rio quanto em São Paulo!

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!