Autora de “The Handmaid’s Tale” é acusada de transfobia após compartilhar artigo no Twitter

Margaret Atwood, autora da premiada série “The Handmaid’s Tale“, recebeu fortes críticas por compartilhar um texto que fazia críticas à linguagem neutra. Assinado por Rosie DiManno, clunista do jornal The Star, o texto critica o uso de determinados termos para substituir a palavra “mulher“.

Intitulado “Por que não podemos mais dizer ‘mulher’?”, o artigo argumenta que a linguagem neutra causa um “apagamento das mulheres”, o que torna “as pessoas bem-intencionadas sem palavras, para que não sejam atacadas como transfóbicas ou de outra forma insensível às construções cada vez mais complexas de gênero. Além disso, diz que “a palavra mulher estava em perigo de se tornar um palavrão” ou  “riscada do vocabulário oficial“. Atwood não escreveu nenhuma legenda ou comentário, mas apenas compartilhar a publicação já a tornou alvo de críticas.

A jornalista norte-americana Amanda Jette Knox lamentou o ocorrido: “Estou desapontada que você compartilhou isso, porque não é verdade. Ainda podemos dizer ‘mulher’ e também podemos dizer ‘pessoas’ quando faz sentido usar uma linguagem mais inclusiva. Eu não sou binária. Também menstruei e dei à luz 3 filhos. Dizer ‘pessoas com menstruação’ inclui mulheres E eu“. Mais tarde, a autora retuitou o seguinte comentário deixado por um seguidor: “Você pode dizer mulher e também pode dizer homem trans e pessoa não binária ou pode dizer pessoa grávida. Incluir mais pessoas NÃO é excluir ninguém“.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!