Elliot Page declara apoio a funcionários trans em causa contra especial transfóbico da Netflix

Elliot Page se manifestou sobre a recente polêmica envolvendo o especial The Closer (2021), da Netflix, no qual o comediante Dave Chappelle fez piadas transfóbicas. Na produção, lançado no Brasil em 5 de outubro, Chapelle faz “piadas” sobre os órgãos genitais de pessoas transexual.

Além dos comentários ofensivos as pessoas trans, Chapelle também se autoproclamou no especial como “TERF“, que é uma sigla em inglês para feminista radical trans-excludente. “Eu apoio os funcionários trans, não-binários e pessoas não-brancas da Netflix, as quais lutam por mais e melhores histórias trans, e um ambiente de trabalho mais inclusivo,” escreveu Page em seu Twitter. Já em seu perfil no Instagram, o artista postou um vídeo em que várias outras personalidades demonstravam apoio ao protesto movido por funcionários da plataforma de streaming. Eles pedem que a Netflix reconheça o efeito prejudicial que o material de Chappelle pode ter na comunidade LGBTQIA+.

“Como já discutimos por meio do Slack, e-mail, mensagens de texto e tudo mais, nossa liderança nos mostrou que eles não defendem os valores pelos quais somos responsáveis […] Entre os inúmeros e-mails e falta de respostas, nos disseram explicitamente que, de alguma forma, não podemos compreender a nuance de determinado conteúdo. Não sei você, mas pedir que mostremos toda a história e não apenas as partes que prejudicam as pessoas trans e [LGBTQ+] não é um pedido absurdo“, divulgaram os funcionários em uma nota à imprensa.

Já na terça-feira (20/10), véspera do protesto, a empresa tentou acalmar os ânimos. “Valorizamos nossos colegas e aliados trans e entendemos a profunda mágoa que foi causada. Respeitamos a decisão de qualquer funcionário que escolha prostestar e reconhecemos que temos muito mais trabalho a fazer tanto na Netflix quanto em nosso conteúdo”. Apesar disso, o especial continua no catálogo da plataforma.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!