Afastado com laudo psiquiátrico por conta de episódio homofóbico, PM gay do DF volta a trabalhar

Após oito meses de afastamento para tratar a depressão e ansiedade causadas pela reação de outros policiais à foto dele beijando o companheiro na formatura da corporação em 2020, o soldado Henrique Harrison voltou a trabalhar na Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) nessa segunda-feira (22/11). Com informações do portal Metrópoles.

Segundo o soldado, o seu retorno acontece antes do recomendado pelo psiquiatra com quem faz acompanhamento. “Minhas conversas com o psiquiatra e psicólogo já traziam uma possibilidade de retornar ao trabalho por, de fato, estar bem melhor”, conta Henrique ao portal. A decisão de volta ao trabalho foi tomada diretamente pela junta médica da PMDF. No entanto, seu retorno terá algumas restrições, como atividade apenas no administrativo da corporação. “Eu penso que retornar era uma opção, mas achei estranho que antes de eu levar o atestado, já tinham decidido. Mas eu não vou brigar por isso. Apesar de tudo, penso sempre no melhor da corporação”, pontua.

Henrique está lotado no 1º Batalhão da PM, na Asa Sul, e afirma que escolheu o local após ameaças de um soldado. “Eu queria trabalhar em Sobradinho, mas fui ameaçado por um policial da cidade, então trabalho a 35 km de casa por conta desse episódio”, lamenta. O  policial a que Henrique se refere já foi condenado pela justiça a pagar R$ 5mil à ele. Mas o soldado recorreu por considerar o valor baixo.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!