Padre que usava dízimo de igreja para bancar orgias e drogas é condenado a três anos de prisão

O padre Francesco Spagnesi, de 40 anos, foi condenado na última terça-feira (07/12) a 3 anos e 8 meses de prisão após ter feito um acordo de confissão com o tribunal da cidade de Prato, na Itália. O pároco de 40 anos estava detido desde 14 de setembro por ter desviado dinheiro da igreja para bancar orgias sexuais e drogas ilícitas. Com informações do O Globo.

Spagnesi vai cumprir pena prestando serviços sociais e será submetido a um tratamento em comunidade terapêutica para tentar se livrar do vício em drogas. Ele foi considerado culpado de roubar o dinheiro doado pelos fiéis e usá-lo para financiar o uso de drogas em orgias gays que eram realizadas sem qualquer tipo de protocolo de segurança no meio de uma pandemia. Entre as drogas traficadas com o dinheiro do dízimo estava o GHB, conhecida como “ecstasy líquido” por estupradores. O Ministério Público também acusou o padre de ter desviado cerca de 200 mil euros (equivalente a R$1 milhão e 270 mil) para compra dos entorpecentes. Devido aos escândalo, Spagnesi chegou a ser impedido de acessar a conta da paróquia em abril.

Quando foi preso, em setembro, Spagnesi se desculpou pelo que fez. Ele atribuiu sua conduta ao abuso de drogas. “Não me reconheço mais, o turbilhão da cocaína me engoliu”, disse o padre. “A droga me fez trair as pessoas da paróquia, me fez contar mentiras, me fez agir de modo que me envergonho. Agora sou HIV positivo e peço perdão a todos”, lamentou, segundo o Corriere Della Sera.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!