JK Rowling celebra o Dia Internacional da Mulher com show de transfobia no Twitter

A criadora de “Harry Potter“, JK Rowling, lançou mais uma vez um discurso transfóbico nas redes sociais. A escritora de 56 anos foi ao Twitter criticar o governo escocês por uma nova proposta de lei que permitiria às pessoas transexuais maior facilidade quando se trata de mudar seu gênero em documentos governamentais.

Conhecido como Projeto de Reforma do Reconhecimento de Gênero, o projeto é apoiado pelo primeiro-ministro escocês Nicola Sturgeon. Os transfóbicos, no entanto, alegam que a proposta permitirá a entrada de predadores sexuais masculinos em instalações femininas, simplesmente declarando-se transexual sem qualquer histórico de transição médica ou disforia de gênero. “Aparentemente, sob um governo trabalhista, hoje se tornará o Dia de Nós Que Não Devemos Ser Nomeados“, disse Rowling, fazendo uma alusão de que mulheres cis estão sendo apagadas nesta data. “A lei que Nicola Sturgeon está tentando aprovar na Escócia prejudicará as mulheres mais vulneráveis ​​da sociedade: aquelas que procuram ajuda após violência masculina/estupro e mulheres encarceradas”, escreveu em outro tweet.

Os tweets transfóbicos, é claro, tornaram-se tão notáveis ​​quanto sua autoria de aventuras no mundo bruxo. Seu ataque contínuo às pessoas trans e aos direitos dos transgêneros atraiu amplas críticas, inclusive das ex-estrelas da série de filmes “Harry Potter“. Rowling também não participou de uma reunião de 20º aniversário para as estrelas de cinema da série que foi ao ar em dezembro passado.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!