Mia Fidelis: “Passabilidade é um castigo: algumas usam para se sentirem maiores e outras condenam”

Conversamos com Mia Fidelis no estúdio do Pheeno! A maquiadora relembra que cursou a escola e a faculdade como um menino gay, até se desconstruir durante o ensino superior e entender que é uma mulher trans. Foi durante seu curso de Design de Moda que viu que, de fato, roupa não tem gênero: “Tudo que é dito feminino, nos primeiros foi usado primeiro por homens, até serem taxados de feminino”.

Mia é uma mulher trans binária heterossexual e passou por muitos perrengues na vida amorosa, muitos deles ainda antes da transição, como gay afeminado, dos conhecidos como “travequeiros”: “Passei maus bocados”. A apresentadora do canal Reload discute, também, sobre passabilidade no universo trans.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!