Rodrigo Santoro lembra rejeição do público ao viver personagem travesti em “Carandiru”: “Causou repulsa”

Rodrigo Santoro foi um dos convidados do “Altas Horas” do último sábado (18/06), que teve como temática o Dia do Cinema Brasileiro. O ator comentou sobre os 51 filmes em que já trabalhou durante seus 22 anos de carreira, com destaque para o premiado “Carandiru” (2003).

Na trama, Santoro deu vida à travesti Lady Di e se casou com o enfermeiro Sem Chance, vivido pelo ator Gero Camilo. Segundo ele, muitos telespectadores repudiaram o casamento entre os personagens e não pouparam críticas à sua atuação na época. “É um trabalho muito emblemático na minha jornada. Quando estreou, eu fui ao cinema para olhar a reação das pessoas. Estavam me dizendo que algumas iam embora na hora do casamento da Lady Di. Acho que não conseguiam lidar com aquilo, talvez por eu ter trabalhado na televisão por muito tempo… Então eu vi, pelo menos, umas 20 pessoas saindo do cinema”, relembrou o ator.

Nesse sentido, foi muito difícil, por causa também da questão do galã de televisão, e piadas… A gente está falando de 2002, estava em outro mundo… Foi um desafio que encarei com muito respeito, fiz muita pesquisa, mas causou repulsa. Lidei com tudo isso e não foi fácil, mas eu tenho muito orgulho desse trabalho. Foi muito muito forte”, acrescentou Santoro.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!