Cantor carioca aborda a sensibilidade do homem preto no EP de estreia; ouça “Pra Molhar

Moradorar do Morro do Jordão, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o cantor e compositor carioca Claudio acaba de lançar seu EP de estreia. Intitulado “Pra Molhar”, a produção aborda temas como a sensibilidade do homem preto e traz referências a sua trajetória artística.

Com influências que vão da MPB às raízes Afrolatinas, todas as composições são autorais. “Quero mostrar a possibilidade do afeto e do sentir, especialmente como um homem negro, que é visto como uma figura forte e agressiva. Quero mostrar que nós amamos, choramos e sentimos dor. A analogia da favela até a praia representa esse percurso árduo que eu e tantos outros fazemos. Esse lançamento representa o meu mergulho e meu direito de usufruir desse mar“, conta Claudio.

Os visualizers e a fotografia fazem referência a estética de ambulantes do litoral carioca, que usam a praia como forma de sustento. Para o cantor, seu trabalho se dedica a criar narrativas positivas sobre a beleza do que é comum dentro da cidade. “São pessoas que estão em um ambiente de lazer, mas não usufruem dele. A praia como lugar democrático funciona na teoria, mas na prática as desigualdades também atravessam este espaço. Nessa analogia colocamos estes homens como protagonistas, porque eles representam a subjetividade e os afeitos de homens negros que, como eu, estão à mostra, mas são invisibilizados“, explica.

O EP abre com a participação especial de Dona Mirtes, mãe de Claudio, que concedeu um relato pessoal e emocionante sobre seu filho. “Quis trazer diferentes formas e linguagens que me ajudassem a construir essa narrativa do sentir, e a poesia tem o poder de externalizar essa voz. É um trabalho de exposição das minhas vulnerabilidades, falo que vivências minhas“, completa o artista.

Ouça

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Felipe Sousa

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Você vai curtir!