Pesquisa afirma que alunos gays sofrem mais agressões do que héteros

agressao-gay-11001

Uma pesquisa feita pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, indicou que a probabilidade de um adolescente sofrer agressão moral ou sexual durante um encontro é maior se a vítima for gay, lésbica ou bissexual, em comparação com os demais estudantes do ensino médio nos EUA.

Divulgada em agosto, estudo escutou mais de 15 mil jovens de forma anônima. As respostas dos adolescentes mostram que cerca de um terço dos estudantes LGBT sofreram bullying no colégio, contra 20% dos estudantes héteros. Os dados são ainda mais surpreendentes para as taxas de tentativas de suicídio nos 12 meses anteriores à pesquisa: 25% entre os homossexuais, quatro vezes mais alta que entre os heteros.

Já a taxa de adolescentes que relataram ter sofrido um estupro em algum momento da vida também foi quatro vezes mais alta entre gays, lésbicas e bissexuais do que entre adolescentes heterossexuais. Essa foi a primeira pesquisa realizada pelo governo norte-americano para abordar essas questões em todo o país.

Anteriormente, esse assunto era levantado apenas por grupos e ONGs, que mostravam que adolescentes LGBT sofriam abusos com maior frequência. Porém, antes, as pesquisas eram mais limitadas. “Essa é a primeira vez que podemos dizer que em todo o território nacional existem desafios consistentes enfrentados pela juventude lésbica, gay e bi”, afirmou David W. Bond, do Trevor Project, uma organização nacional de prevenção ao suicídio focada em jovens gays, lésbicas, bissexuais e transgênero.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!