Em meio à pandemia, Bolsonaro diz que enviará projeto contra “ideologia de gênero” nas escolas

Em meio a pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (12/05) que deve enviar um “projeto federal com urgência constitucional” sobre “ideologia de gênero”. A declaração foi feita na porta do Palácio da Alvorada, momentos antes do início da cerimônia de hasteamento da bandeira.

Durante o hasteamento da Bandeira Nacional, com a participação de ministros, Bolsonaro ouviu o pedido de uma criança: “Nós crianças não queremos a ideologia do gênero”. O grupo de crianças era tutelado pelo padre polonês Pedro Stepien, ativista antiaborto que costuma comparecer ao Palácio da Alvorada para fazer pedidos ao presidente – entre eles o fim do aborto e da lei de alienação parental.

“Nós sabemos que, por 11 a 0, o Supremo Tribunal Federal derrubou uma lei municipal que proibia ideologia de gênero. Já pedi ontem para o major Jorge (Oliveira), nosso ministro (da Secretaria-Geral da Presidência), que providenciasse uma lei federal agora, um projeto, e devemos apresentar hoje com urgência constitucional”, declarou Bolsonaro, que carregou uma menina no colo enquanto ouviu o grupo cantar “Jesus Cristo”, de Roberto Carlos.

Depois do presidente, o ministro da educação, Abraham Weintraub, disse que os livros didáticos de 2020 “estão melhores” e afirmou que denúncias podem ser feitas por call center e são apuradas pelo MEC e pelo Ministério da Mulher. “Ideologia de gênero” é um termo criado para defender que escolas não abordem temas como homofobia, transfobia e educação sexual.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!