Youtube pede desculpas sobre vídeos LGBT em modo restrito e diz que irá consertar

Na última segunda-feira (20/03), o YouTube emitiu um comunicado em que pede desculpas pelos problemas que fizeram com que vídeos LGBT fossem bloqueados por seu filtro de conteúdos. Ao acessar o site com o modo restrito ativado, usuários se viram incapazes de assistir a mídias relacionadas a temas associados à comunidade.

No blog do Youtube, foi divulgado um texto explicando o que é o modo restrito e como ele funciona. “O problema é que este recurso não está funcionando da maneira que deveria”, Johanna Wright, vice-presidente de gerenciamento de produtos do YouTube, escreveu no post. “Pedimos desculpas e vamos corrigir.”

“Nós introduzimos o Modo Restrito em 2010 como um opcional para ajudar instituições como escolas e pessoas que querem controlar melhor o conteúdo visto no Youtube. Desenhamos a ferramenta para restringir conteúdo de tópicos mais maduros como vídeos que contém blasfêmia, imagens ou descrições de violência ou certas doenças como vício e transtornos alimentares.”

“Hoje, 1,5% dos acessos diários do Youtube vem de pessoas que possuem ativo o Modo Restrito. Mas sabemos que não é sobre números, mas sobre princípios de perturbar alguém de ter acesso a importantes conteúdos e diferentes pontos de vista”. O site também reconheceu que bloqueou vídeos erroneamente.

“Nosso sistema, por vezes, comete erros ao entender o contexto e as nuances quando avalia quais vídeos serão disponibilizados no Modo Restrito. Por exemplo, os vídeos a seguir são exemplos de onde erramos: ‘Her Vows’, de Ash Hardell, ‘Coming Out To Grandma’ de Calum McSwiggan, ‘Woman interrupted during BBC interview’ e o clipe ‘BWU’, de Tegan e Tara”.

Além disso, Johanna pediu para que os usuários tenham paciência. “Não há nada mais importante para nós do que ser uma plataforma onde todos possam pertencer, ter uma voz e falar quando acreditam que algo precisa ser mudado”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!