Presidenta de associação gay, travesti Lili é morta a tiros na Bahia

Uma figura importante na luta dos direitos trans foi assassinada na Bahia! Trata-se da militante Xaynna Shayuri Morganna, conhecida como Lili, que foi morta a tiros na noite de domingo (22/08), na beira do Rio Paraguaçu, em uma área movimentada perto da praça da cidade.

Presidenta da Associação Grupo Gay de Cachoeira, a travesti era uma das responsáveis por organizar a Parada do Orgulho LGBT de Cachoeira desde 2010. Segundo o delegado Eduardo Coutinho, responsável pelo caso, Lili foi morta por três homens que a abordaram em um carro de cor prata. Embora as investigações não tenham sido finalizadas, o delegado descartou o crime transfobia ou pelo fato de Lili ser militante.

De acordo com os dados divulgados no site do Grupo Gay da Bahia (GGB), esse é o 25° homossexual morto este ano no estado da Bahia. Por conta do crime, a Parada LGBT de Cachoeira, que aconteceria em outubro, foi cancelada. O evento acontecerá apenas em 2018. Até o momento ninguém foi identificado ou preso.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!