Fotos de homens e trans nus somem de exposição suspensa pela Prefeitura do Rio

Uma série de exposições e atrações culturais com a temática LGBT estavam marcadas para começar nesta quinta-feira (05/10), no Castelinho do Flamengo, administrado pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

A Secretaria Municipal de Cultura teria suspendido, no entanto, o evento sob a alegação de “graves problemas nas instalações elétricas”. Ao jornal “O Globo”, alguns artistas que alegam que não havia problema nenhum no espaço e que várias obras teriam sumido.

Entre as obras desaparecidas, fotos de homens e trans nus do coletivo FLSH e um quadro da artista Ynaê. O quadro traz um mapa do Rio com embalagens de drogas marcando pontos de venda pela cidade. Os quadros estavam nas salas em que seriam encenadas duas peças, que, junto com todo o evento, foram “suspensas”.

“Os quadros que foram censurados não seriam colocados durante o dia. Só à noite, durante as peças, que têm censura de 14 anos”, conta Victor Fontoura, diretor da “Nascituros”. Para a coluna do Ancelmo Góis, do jornal “O Globo”, o subsecretário municipal de Cultura, André Marini, reforçou que houve um problema grave nas instalações elétricas e informou que o quadro e as fotos foram removidos para que não houvesse risco de incêndio, e que serão devolvidos aos artistas.

Fotos do coletivo FLSH que sumiram do Castelinho do Flamengo | Reprodução
O quatro da artista Ynaê que também sumiu | Reprodução

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!