Lutador do UFC é punido após ofensa homofóbica a parceiro de equipe

A confusão entre Fabricio Werdum e Tony Ferguson em um almoço de imprensa em Los Angeles ainda está dando o que falar. Acontece que o brasileiro usou a palavra “maricón”, considerada um termo homofóbico, durante a discussão.

Na última sexta-feira (29/09), o UFC enviou um comunicado ao site “MMA Fighting” afirmando que o lutador irá prestar serviços comunitários com a comunidade LGBT como forma de diminuir o impacto negativo de suas palavras. “O UFC está desapontado com os comentários recentes feitos por Fabricio Werdum em um evento promocional em Los Angeles. A natureza e implicações desses comentários não refletem a visão do UFC e não serão toleradas”, diz um trecho da declaração.

Ainda segundo a declaração, o lutar irá prestar serviços a comunidade arco-íris. “Por conta da violação dessa política, Fabricio concordou em desenvolver trabalho comunitário junto à comunidade LGBT em Las Vegas, tomando medidas diretas para proporcionar mudanças e causar um impacto direto na comunidade”, afirma.

Em entrevista ao site “Combate”, Werdum reiterou que não teve a intenção de ofender a comunidade LGBT durante a discussão. “Não tenho nada contra homossexuais, nada contra gays. Eu fiquei muito nervoso e usei todas as palavras que me vieram à cabeça ali naquela hora”, garante o lutador. “Em momento algum a minha intenção foi ofender a comunidade LGBT, até porque, na minha opinião, todos são iguais, independentemente de sua orientação sexual”.

“Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Eu fiquei muito irritado com a falta de respeito do Ferguson ali naquela hora e acabei falando algo sem pensar. Peço desculpas novamente se ofendi alguém, não foi minha intenção”, finalizou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!