Homem é condenado à pena de morte após torturar e matar enteado de oito anos

Gabriel Fernández, de oito anos, foi torturado e morto por sua mãe, Pearl Fernández e o noivo dela, Isauro Aguirre. Segundo os criminosos, o motivo que levou ao assassinato da criança foi de que ambos pensavam que o menino era homossexual.

A vítima foi encontrado amordaçado com uma meia, desnutrido e doente. A situação era tão grave que os médicos não conseguiram salvá-lo. Além disso, o menino possuía hematomas e queimaduras por todo o corpo. “Nenhum humano com um coração e alma poderia fazer isso a uma criança inocente”, declarou Jonathan Hatami, um dos responsáveis pelo caso, ocorrido em Los Angeles, Estados Unidos.

Na defesa o casal argumentou que aquilo foi um ataque de ira explosiva e que não tinham a intenção de matar de Gabriel, além de justificar que a criança “gostava de se autoflagelar, era gay e queria se suicidar”. Aguirre foi sentenciado à pena de morte no mês passado e a execução ocorrerá no dia 8 de março de 2018. A mãe da criança ainda está sendo julgada separadamente.

Segundo o portal Gay Times, além dos assassinos, outros quatro profissionais do serviço social de Los Angeles responsáveis pelo caso de Gabriel, também enfrentam acusações de abuso infantil e falsificação de registros públicos, o que contribuiu para que a violência acontecesse.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!