Diretor de “Call Me By Your Name” defende escalação de atores héteros interpretando pesonagens LGBTQ+

Em recente entrevista ao jornal The Independent, o diretor Luca Guadagnino, de “Me Chame Pelo Seu Nome” (2017), rejeitou a ideia de que se devem contratar atores LGBTs para interpretar personagens LGBTs.

Eu li muito sobre Freud para levar a sério esse tipo de crítica. O que significa que honestamente eu não tenho direito de decidir se um ator é hétero ou não“, respondeu Guadagnino, que é gay assumido, ao ser questionado pela falta de representatividade no filme. “Quem sou eu para saber o que alguém pensa de si mesmo dentro de si? Sim, Armie é um homem heterossexual com mulher e filhos e o mesmo pode ser dito de Timothée. Mas devo pedir-lhes que jurem por sua sexualidade, por suas identidades, por seus desejos, antes de eu os escalar? Eu não!”, completou, dizendo que é “absurdo só atores gays interpretarem personagens homossexuais”.

Se eu tivesse que escalar o que as pessoas acham que é real para um papel, eu não seria capaz de escalar. Não posso escalar um gay para interpretar Oliver. Tenho que escalar Oliver para interpretar Oliver porque as identidades dos homens gays são tão múltiplas quanto as flores no reino da terra. Portanto, não existe uma identidade gay. Uma pessoa que é gay é completamente diferente de outra que é gay”, continuou ele.

Se eu tiver que ser preciso nesse tipo de observação maçante, eu poderia elencar Oliver, mas Oliver não existe. Ele é uma criatura de André Aciman [autor do livro em que se baseia o roteiro do longa]. Voltamos ao último ponto que quero destacar, que é que a beleza de atuar é a possibilidade da criação e incorporação de novos seres por meio da arte de atuar”, analisou o cineasta. 

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!