Carlos Bolsonaro denuncia na polícia foto em que drag queen Tchaka segura “cabeça” do pai

Um artista de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, foi indiciado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) por postar uma foto de uma drag queen com a cabeça de Jair Bolsonaro (sem partido), em uma performance artística, após denuncia apresentada pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos).

Conhecido como Diadorim, o artista divulgou uma foto da drag queen Tchaka segurando uma escultura que simula a cabeça de Bolsonaro. A imagem foi postada em perfil privado com a legenda “O Brasil que eu quero“. Em seu Instagram, o filho do presidente afirmou que o artista teria cometido crime de ameaça e incitação ao crime contra o pai. “Após denúncia de imagem com o presidente decapitado, a Polícia Civil concluiu que o indiciamento cometeu tipicidade clara com o mesmo admitindo autoria (Art. 287 CP) e Art.21 da Lei 7170/83“, escreveu Carlos.

Segundo informações do G1, a investigação foi encaminhada na quarta-feira (02/12) para a 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada. Diadorim é colocado como autor dos crimes de apologia ao crime e do “artigo 221” da Lei de Segurança Nacional, de 1983, que possui 35 artigos. “Na minha declaração para o agente que colheu meu depoimento, eu disse que foi uma performance que aconteceu em setembro, o próprio presidente afirmou que aquilo configurava liberdade de expressão”, disse Diadorim ao portal.

O coletivo ativista Indecline promove o projeto chamado Freedom Kick, que encomenda esculturas ultrarrealistas de cabeças de líderes políticos e envia aos países “mais afetados” pelas políticas deles e propõem o uso do artefato para jogar futebol.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!