Sexualmente versátil, jovem gay fala sobre como é ter doença rara que pode matá-lo se ele for passivo

O escritor Chris Moore, autor de Gut Feelings e Fall Out, contou ao Pink News sobre a doença rara que o impede de ser passivo, ato que poderia provocar sua morte. Segundo Chris, ele descobriu sua homossexualidade aos 11 anos, no entanto, pouco tempo depois precisou ser internado em um hospital por conta do disgnótico da doença.

“Quando foi feita a colonoscopia, veio o diagnóstico de que eu precisaria remover meu cólon, o que eu fiz aos 13 anos“, lembra o escritor. “Foi necessário começar a retirar o revestimento do meu reto quando eu tinha 17 anos. Fiquei me perguntando o que isso significava para mim. Eu não tnha me assumido. Passei muitos anos entre cirurgias tentando entender o que significava ser gay e aceitar isso“.

Lembro-me de falar com minha mãe e de ser encaminhado até a enfermeira, que me disse que, se eu fosse gay, nunca seria capaz de ser passivo quando se tratasse de sexo anal. Se o fizesse, teria uma hemorragia e possivelmente morreria, porque isso desalojaria os pontos que prendem o intestino delgado ao que sobrou do reto“, conta Chris, que sequer havia ficado com outros meninos. “A escolha foi tirada de mim. Então, eu nunca saberei realmente quais seriam minhas preferências sexuais, mas parte de mim acredita que eu seria versátil”, afirma. “Eu teria gostado de experimentar todos os aspectos do sexo e da sexualidade, mas minha doença apresenta complicações.

Aprendi muito jovem que precisava ouvir meu corpo, falar sobre meus sentimentos. Há momentos em que me sinto privado de experiências sexuais, mas lembro a mim mesmo que estou vivo e, por todas as limitações, sou digno“, finaliza o escritor.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!