Jogador gay de polo aquático sofre homofobia durante partida e denuncia agressor nas redes sociais

O atleta espanhol do polo aquático, Victor Gutiérrez, denunciou em seu perfil no Instagram um episódio homofobia durante uma partida oficial no último sábado (17/04). Na publicação, Gutiérrez afirma que foi chamado de “maricón” (viado) por duas vezes e que os ataques partiram do jogador sérvio Nemanjá Ubovic, do Club Natació Sabadell.

É lamentável que esses comportamentos ocorram em ambientes esportivos e que também fiquem impunes. Depois de horas e de não ter recebido nenhum pedido de desculpas do jogador, decidi não proteger a pessoa que me insultou ontem”, denunciou o atleta, que em maio de 2016 se tornou o primeiro atleta de times de elite a divulgar sua homossexualidade. Gutiérrez afirma que no momento em que Ubovic o insultou durante a partida, ele não deu importância. Mas no final do jogo, irritado, não cumprimentou Ubovic e atleta adversário repetiu o insulto. No início, ele não quis dar o nome de Ubovic para evitar apontá-lo publicamente e não ser assediado nas redes. Mas como não recebeu nenhum pedido de desculpas, revelou o nome do jogador do CN Sabadell.

Gutiérrez garante que, para ele, “bicha” não é um insulto e que tem muito orgulho de quem é, mas que denunciou publicamente o incidente devido à “raiva” e “impotência” que sente ao constatar que algumas pessoas tentam menosprezá-lo por causa de sua sexualidade. “Estou orgulhoso de quem sou e todos deveriam se sentir assim: não vale a pena viver por trás de uma máscara ou ter vergonha de quem somos”, ele continua o desabafo, visivelmente emocionado. “São lágrimas de raiva, porque ainda estão tentando atacar e prejudicar as pessoas lá fora. E lágrimas de desamparo porque sei que absolutamente nada vai acontecer. Eu sei que o esporte é lamentável com esse tipo de comportamento. Se eu puder ajudar a mudar um pouco as coisas, quero tentar. Não vou calar a boca porque seria um desserviço a todos os meus ideais e ao que penso“.

O CN Terrassa, time onde Gutiérrez joga, divulgou um comunicado no qual expressa seu “total apoio” ao jogador e sua rejeição a “qualquer sinal de homofobia” no mundo do esporte. Já o CN Sabadell também se manifestou de forma semelhante, condenando qualquer atitude que atente “contra os valores de respeito, tolerância e igualdade“. 

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!