Matheus Nachtergaele revela que família foi contra papel como travesti na minissérie “Hilda Furacão”

O ator Matheus Nachtergaele, de 53 anos, revelou que família foi contra seu papel como a travesti Cintura Fina na minissérie “Hilda Furacão”, de 1998. Segundo o ator, os parentes temiam que ele ficasse rotulado como o “bicha da TV“.

Eles tinham medo dessa exposição, de ficar marcado na TV aberta. E eu sabia que era uma grande estreia. Para nosso espanto, a Cintura Fina criou uma legião de fãs adolescentes e crianças“, revelou Nachtergaele, em entrevista ao Folha de S. Paulo. O ator conta que a preparação para o papel envolveu experiências ao lado de prostitutas e travestis nas ruas de São Paulo. “Para ver o cotidiano e aquilo entrar na minha compreensão sensível“, explica ele. “Queria me inteirar da vida delas e vi que é preciso ser muito macho para ser travesti de rua.

A personagem, apesar de ser retratada de forma clichê, foi um divisor de águas na carreira do ator que estreava na televisão pela segunda vez. “Meu trabalho se caracterizou no cinema, no teatro e na TV por personagens marginalizados, na zona de perigo. Depois do Cintura, fiz mais travestis e personagens que tinham tons de enfrentamento e de aceitação”, analisa.

Cintura Fina realmente existiu! Nascida no Ceará em 1933, ela chegou a capital mineira aos 20 anos, onde passou a maior parte da vida. A travesti era alvo de perseguições policiais na conservadora Belo Horizonte da década de 1960. No entanto, não admitia que questionassem sua identidade de gênero e defendia-se dos abusos e agressões usando uma navalha, o que lhe rendeu 11 inquéritos policiais. Chegou a dar aulas de como manusear o artefato para as populações marginalizadas. Em depoimento a um delegado em 1964, ela afirmou: “Eu sou mulher e nasci mesmo foi para os homens”. Cintura Fina morreu aos 62 anos, na cidade mineira de Uberaba, onde passou os últimos 15 anos de sua vida.

Confira imagens da verdadeira Cintura Fina

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!